Atualidades_

Food Defense (PT)

#FoodDefense, #DefensaAlimentaria, #CertificaciónFoodDefense | Notícia | December 28, 2017

Segundo a norte-americana FDA (Food and Drugs Administration), o termo Food Defense inclui todo o esforço para proteger os alimentos de ser alterados de forma intencional, incluindo um amplo leque que vai desde a ação de um funcionário descontente, empresa concorrente, um fornecedor, até atos terroristas de qualquer tipo. Estas alterações incluem agentes físicos, biológicos, químicos, ou até radioativos (não confundir com Segurança Alimentar que abrange outros termos e não implica em uma intenção intrínseca). Pode-se imaginar como consequências dos riscos anteriores: desde intoxicações graves, mortalidade (dependendo do produto), passando por incidências econômicas graves, impacto na imagem do país e até o pânico na população.

Embora inicialmente este termo se aplique àquelas empresas que querem vender ou se implantarem nos Estados Unidos, atualmente se estendeu rapidamente para outros países de nosso âmbito, chegando a serem criadas normas técnicas como o IFS (International Food Standard), que foi desenvolvido pelos distribuidores alemães, franceses e italianos com o propósito de ajudar aos provedores a fornecerem produtos seguros conforme às especificações e à legislação vigente.
Para esta norma, são estabelecidos como objetivos principais:

  • Garantir a legalidade, a segurança e a qualidade dos produtos fabricados.
  • Assegurar o fornecimento de produtos seguros, de acordo com suas especificações e conforme a legislação, consequentemente uma redução de custos e obtendo a transparência em toda a cadeia de fornecimento.
  • Reduzir os custos e o tempo para fabricantes e distribuidores.

E como benefícios mais significativos: - Diminui os custos dos possíveis erros de qualquer cadeia de produção. - Proporciona uma comunicação organizada e com todas as partes interessadas. - Proporciona confiança aos consumidores. - Controle mais eficiente e dinâmico dos riscos para a segurança alimentar. - Concilia a segurança alimentar e o controle de qualidade.

Neste sentido, a TIS oferece sua ampla experiência em consultoria e sistemas para obter a certificação em Food Defense, desenvolvendo-a em quatro etapas:
Analise e Diagnóstico: por meio de visitas ao cliente e entrevistas previamente concebidas, obtém-se uma “foto” exata do estado atual da segurança quanto ao disposto pelo protocolo IFS e os requisitos de cliente (Gap Analysis).
Desenvolvimento do Plano de Ação: derivado do anterior, estabelecem-se os procedimento, organização e medidas necessárias para o cumprimento da IFS, observando os diferentes riscos que podem ser apresentados tanto em cenários habituais como excepcionais.Este Plano é realizado de forma detalhada, incluindo a engenharia dos sistemas de segurança: com base nos riscos observados e o objetivo de cumprimento da IFS, a TIS desenvolve diversos anéis concêntricos de segurança, que incluem tecnologias inovadoras de CCAA, CCTV (fundamental o dispor de analíticas de vídeo específicas para assegurar a traçabilidade e a detecção de determinadas atividades), detecção de intrusão, posicionamento de presença de pessoas ou elementos, etc., além de oferecer soluções inovadoras no âmbito da cibersegurança, que ajudarão a oferecer proteção total contra qualquer risco físico e/ou lógico. Neste ponto, são observados alguns dos requisitos a considerar para cumprir com a norma IFS, oferecendo sempre soluções integradas e desenhadas de forma específica conforme as peculiaridades de cada cliente: - Realizar um controle do pessoal que acessa/sai para/das instalações, bem como dos veículos, por meio da instalação de sistemas automatizados. - Realizar um controle do pessoal que acessa as dependências das instalações onde os alimentos são manipulados, por meio da instalação de elementos que impeçam a passagem de pessoas não autorizadas. - Realizar um controle da passagem de pessoal do cliente através de certos pontos da cadeia de processo, não implicando necessariamente na interação deste pessoal sobre o sistema. - Realizar um controle nos cais de carga para assegurar a atribuição da carga com o transporte previsto, permitindo desta maneira a traçabilidade do processo. - Realizar um controle visual específico dos processos, principalmente nas dependências das instalações onde os alimentos são manipulados. - Realizar um controle visual geral das instalações, e em particular de certos pontos críticos.

Implantação ou execução do Plano de Ação: a TIS oferece um projeto chave na mão, onde são implantadas as medidas necessárias com a premissa de causar o mínimo impacto nos processos habituais do cliente. Outro ponto de especial importância para a TIS é a transferência do conhecimento com o qual são projetadas as ações formativas e de conscientização para todo o pessoal afetado. Acompanhamento do Plano: são realizadas avaliações periódicas e simulacros para comprovar que se mantem o alinhamento do Plano com o estabelecido na IFS. Em caso de discrepâncias se propõem as melhoras adequadas.
Estas quatro etapas se vem perfeitamente coesas graças a uma Gestão de Projeto Integral com base em diversos padrões e metodologias como, por exemplo, PMI (Project Management Institute) devido a TIS dispor de um importante número de pessoal certificado nestas especialidades.

María de los Ángeles Vázquez Quiroga y José Ignacio Rueda Benítez
Especialistas em Engenharia